Muito semelhante ao conceito de Hotel de charme, com uma ênfase maior nos elementos de arte, individualidade e interatividade. Sempre com poucos apartamentos, normalmente entre 5 e 50, mas uma completa infra-estrutura de lazer e serviços que só um hotel maior poderia oferecer, com respeito e valorização do gosto e individualidade de cada hospede.

A idéia é que o hóspede de um boutique hotel - como o consumidor de uma loja boutique - tenha direito a usar toda uma infra-estrutura que um hóspede de um hotel normal teria, com o bônus da exclusividade por tratar-se de um estabelecimento para poucos. Instalações charmosas, com um projeto arquitetônico diferenciado ou instalado em um prédio histórico.

Deve sempre haver um elemento criativo e individual a respeito da propriedade e dos serviços oferecidos. Na decoração, um boutique hotel deve lançar moda: compor um mosaico de objetos de design ou de arte - que em muitas propriedades também são vendidos aos hóspedes.

Oferecem instalações luxuosas e infra-estrutura de lazer, elementos que são mandatórios para que uma propriedade seja um verdadeiro boutique hotel. Diferente, o individual e, em alguns casos, o temático. São os elementos contextuais para que aumenta a experiência do hóspede, transformando uma estadia em uma experiência inusitada e particularmente agradável.

A interatividade, por outro lado, deve ser espontânea, e levar o hóspede a sentir-se em casa de amigos ou como "dono do lugar".